English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

quinta-feira, outubro 20, 2016

Atendimentos de pacientes de Barra Mansa no HSJB praticamente dobram em 2016

édia de pacientes de cidade vizinha passou de cerca de 500 até maio para mais de 940 em setembro

        A direção do Hospital São João Batista (HSJB), em Volta Redonda, fez um levantamento que mostra que o número de pacientes de Barra Mansa – cidade vizinha – atendidos na unidade praticamente dobrou desde o início do ano. A média de pacientes de Barra Mansa atendidos por mês, até maio, era de aproximadamente 500 pacientes. Este número saltou para 944 em setembro, um aumento de praticamente 100%.
  A tendência de crescimento pode ser verificada a partir de junho, quando o número de pacientes da cidade vizinha atendidos no HSJB passou para 627. Na sequência, foram 669 pacientes de Barra Mansa atendidos em julho; 677 em agosto; e 944 em setembro, representando praticamente 70% do total de pacientes de outros municípios atendidos no HSJB neste mês – que teve um total de 1.278 atendimentos de pacientes de outros municípios.
O número de pacientes de Volta Redonda atendidos por mês no HSJB gira em torno de 7,5 mil pessoas. O hospital atendia ainda uma média de 900 pacientes de outras cidades por mês até maio, mas com o aumento do número de pacientes de Barra Mansa, estes atendimentos chegaram a aproximadamente 1,2 mil em setembro. Até o dia 18 de outubro, de acordo com o levantamento feito pela direção do hospital, 598 pacientes de Barra Mansa já haviam procurado o maior hospital público de Volta Redonda, que está sofrendo as conseqüências do aumento da demanda.
        “A maior parte destes pacientes é clinicamente mais grave, exigindo internação. Com isso, nós acabamos tendo um déficit de leitos, o que causa muitos transtornos no hospital”, disse o diretor geral do SAH (Serviço Autônomo Hospitalar), Sebastião Faria, que controla o HSJB. “A internação por causas clínicas dura em média 10 dias, enquanto a cirúrgica dura cerca de 6 dias. Como a maior parte dos pacientes de Barra Mansa acaba sendo internado por causas clínicas, o leito fica ocupado por mais tempo”, salientou.
Na avaliação de Faria, as dificuldades de atendimento da rede básica de Barra Mansa estão causando a vinda de pacientes para Volta Redonda. “Nós somos um hospital de emergência, de portas abertas, com atendimento pelo SUS (Sistema Único de Saúde), e não podemos recusar pacientes. Mas as dificuldades de atendimento da rede básica de Barra Mansa estão trazendo um número excessivo de pacientes para Volta Redonda, nos causando imensos transtornos e dificuldades”, afirmou o diretor geral do HSJB.

Tendência de aumento não se verifica em outras cidades

        O Hospital São João Batista é referência em atendimento de emergência e cirurgia na região Sul Fluminense, principalmente em relação à traumato-ortopedia. Com isso, acaba recebendo pacientes de diversos municípios, até mesmo de outras regiões do Estado do Rio.
Na região, cidades como Pinheiral, Piraí e Barra do Piraí enviam regularmente pacientes para o HSJB. Esta última, por exemplo, tem uma média de 250 pacientes atendidos por mês na unidade. Pinheiral tem cerca de 70 pacientes atendidos mensalmente no HSJB, e até a cidade do Rio de Janeiro tem pacientes atendidos regularmente no hospital público de Volta Redonda, com uma média mensal de 10 atendimentos.
        Mas, ao longo de 2016, nenhuma dessas cidades apresentou um aumento no número médio de pacientes atendidos no HSJB, a não ser Barra Mansa. Com isso, enquanto Barra do Piraí, a segunda cidade que mais envia pacientes para Volta Redonda, teve 2.576 pacientes atendidos no HSJB até o dia 18 de outubro, Barra Mansa teve 5.863 pacientes atendidos, muito mais que o dobro de atendimentos.