English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

quinta-feira, janeiro 19, 2017

5 metas para a Educação brasileira em 2017

Janeiro é sempre um mês de balanço. É o mês mais calmo de todos e, por isso, muito propício para fazermos uma avaliação do ano que passou e estipularmos metas para o novo ciclo que se desdobra.
shutterstock_407302318
Eu aprendi com uma amiga, há muito tempo, a escrever 5 metas todo começo de ano. Não deve ser mais, pode ser menos. O importante é que sejam escritas. A vantagem de se pensar de forma concreta naquilo que desejamos fazer e transpor isso para o papel é que passamos a lembrar das nossas resoluções o tempo todo e nos mantemos focados em atingi-las.
O que podemos – e devemos – esperar para a Educação brasileira neste ano:
Meta 1. Concluir com qualidade a Base Nacional Comum para que tenhamos, finalmente, um currículo brasileiro com as expectativas de aprendizado para cada série e cada etapa da educação básica. A BNC será importantíssima em várias dimensões: servirá para direcionar o currículo de formação dos professores, para fazer com que escolas, professores, diretores, pais e alunos tenham transparência a respeito do que cada estudante deve aprender em cada fase do ensino e, também, para criar a régua de avaliação desse aprendizado, medindo o quanto estamos, de fato, avançando.
Meta 2. Começar a pôr em pratica a reforma do Ensino Médio, na qual cada Estado brasileiro deve definir as rotas de formação de seus alunos, tanto nos caminhos específicos da educação básica como nos caminhos profissionalizantes. Aliás, definir, qualificar e ampliar a oferta desses cursos profissionalizantes será fundamental.
Meta 3. Ainda com relação à reforma do Ensino Médio, cada Estado deve definir sua estratégia para ampliar a oferta de Educação Integral, escolhendo um modelo que privilegie uma verdadeira formação integral para os alunos, evitando a armadilha do caminho fácil, ou seja, oferecendo uma simples ampliação do horário dos jovens na escola. Nós já temos bons modelos de Escola Integral no Brasil. O modelo de Pernambuco já está testado e provado – e não por acaso é o mesmo que o governo do Estado de São Paulo está adotando, também com enorme sucesso.
Meta 4. Testar um real regime de colaboração entre um Estado e um grande município, como o de São Paulo. Com a declarada intenção de colaboração do novo prefeito João Doria e do governador Geraldo Alckmin na área da Educação, os dois secretários, do Estado e do município, poderão dar o exemplo de um plano conjunto, integrado, ganhando sinergias entre os dois sistemas para beneficiar, principalmente, o aprendizado dos alunos. Se der certo – e eu espero que dê MUITO certo! -, a iniciativa servirá de exemplo de cooperação, inspirando outras dobradinhas Estados e municípios pelo Brasil afora!
Eu poderia parar por aqui, pois essas 4 metas já são bastante ambiciosas. Mas gostaria de acrescentar mais uma, uma meta para começar um real movimento na valorização da carreira dos professores brasileiros. Eis a minha última meta:
Meta 5. Criar um sistema de avaliação de professores no qual estejam definidos claramente os “standards” do que é ser um bom professor. Os professores na ativa atualmente ajudariam na definição desses critérios e se submeteriam à avaliação de forma voluntária. Um sistema desse tipo foi criado nos Estados Unidos, começou pequeno e, hoje, é adotado em 40 estados americanos. Os professores perceberam as vantagens de fazer parte da avaliação que dá a eles uma série de feedbacks e vantagens em relação à sua carreira.
Se percorrermos essas metas de forma obstinada é possível que, em 2017, estejamos dando um passo histórico na correção de rota da nossa Educação para, enfim, colocá-la na direção certa e conquistar um ensino de qualidade no futuro! http://educacao.estadao.com.br/blogs/ana-maria-diniz/5-metas-para-a-educacao-brasileira-em-2017/