English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

sexta-feira, fevereiro 17, 2017

Melhorar a qualidade do atendimento na Atenção Básica é prioridade da Secretaria de Saúde de Volta Redonda


Para fortalecer o serviço haverá reorganização dos fluxos e implantação
de protocolos clínicos
Com objetivo de melhorar a qualidade no atendimento da Atenção Básica em Volta Redonda, a Secretaria Municipal de Saúde fez uma reunião durante a semana com médicos das Unidades Básicas de Saúde e de Saúde da Família. “O objetivo é fortalecer a Atenção Básica com a reorganização do serviço, eliminando o déficit de recursos humanos, implantando protocolos clínicos e fluxos”, afirmou a secretária municipal de Saúde, Márcia Cury.
“Com isso, a tendência é diminuir a espera por consultas com especialistas e exames”, completou a secretária, frisando que o acolhimento aos usuários, a humanização do processo de trabalho, a requalificação e valorização dos profissionais também são importantes para a melhoria do atendimento.    
Durante o encontro, a secretária deixou claro que a nova gestão pretende conversar de perto com os médicos da rede, lembrando que a Atenção Básica é a porta de entrada dos atendimentos na área de saúde do município.

O subsecretário de Saúde, Rafael Galvão, aproveitou para apresentar o coordenador médico da Superintendência em Atenção e Vigilância à Saúde (Savs), Ricardo Arbex. “O cargo foi criado pela nova gestão para facilitar o diálogo com os médicos da rede, dando suporte, ajudando a solucionar as dificuldades”, explicou.         
Em seguida, Ricardo Arbex falou dos protocolos a serem adotados a partir de agora pelos médicos da rede. Ele reafirmou a importância da qualificação dos encaminhamentos para especialistas e solicitação de exames, além da prescrição de medicamentos padronizados pela Rede Municipal de Saúde.  “A prescrição de medicamentos fora desta lista podem gerar mandados judiciais. Atualmente, Volta Redonda gasta cerca de R$ 500 mil com o cumprimento destes mandados”, falou o superintendente.
Na próxima semana haverá outro encontro com o restante dos médicos da Atenção Básica para que todos tenham conhecimento dos novos protocolos. A necessidade foi endossada pela médica generalista da Unidade Básica de Saúde Jardim Cidade do Aço, Cândida Lima. “A iniciativa é excelente e devemos ter mais encontros como este. Em reuniões assim, evitamos que um pequeno problema se torne grande por falta de agilidade na resolução”, complementou Cândida.