English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

segunda-feira, fevereiro 06, 2017

Prefeitura de Volta Redonda começa a distribuir carnês do IPTU


Quem optar em pagar o imposto em cota única, até 10 de março,
terá desconto de 15%


Os carnês do IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) de Volta Redonda começarão a ser entregues nesta terça-feira, dia 7. A previsão é que até segunda-feira, dia 13, todos os 105 mil carnês estejam com os mutuários. Neste ano, a CSN – maior empresa da cidade – quitou o imposto municipal em cota única, gerando uma receita de R$ 36 milhões aos cofres públicos. Quem optar em pagar o imposto em cota única, até 10 de março, terá um desconto de 15% e de 10%, até o dia 31 de março. Tem ainda a opção de parcelar o IPTU em seis vezes sem juros.
“A arrecadação do IPTU fica integralmente em Volta Redonda. O Governo Municipal a utiliza para realização de obras e para o desenvolvimento de ações e projetos voltados para a população e estamos dando dois tipos de descontos para melhorar a arrecadação”, frisou a secretária municipal de Fazenda, Norma Chaffin.
De acordo com o Código Tributário Municipal, Volta Redonda concede alguns descontos especiais e isenção do imposto. Aposentados e pensionistas, por exemplo, recebem até 50% de descontos, desde que façam o requerimento na prefeitura com as seguintes normas: resida no imóvel; possua renda até 10 salários mínimos; e seja proprietário do imóvel. O período para requerimento para o próximo ano vai de 01 de setembro até 30 novembro de 2017.  
O mesmo desconto de até 50% é dado aos proprietários de imóveis que tenham as seguintes doenças: aids, câncer, parkinson, neofropatia grave, alzheimer e tuberculose ativa. Para isso, os pacientes têm que comprovar a doença por meio de laudo médico, além de outros documentos.       
Por André Aquino com foto de Márcio Lemos / Ascom VR
(24) 3339-9061