English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

quarta-feira, fevereiro 15, 2017

Sul Fluminense vai ganhar primeira cooperativa de técnicos em Agronegócio do país


Egressos e alunos do curso técnico do Senar se organizam para fundar cooperativa de trabalho

O Sindicato Rural de Barra Mansa sediou na noite desta terça-feira, dia 14, um encontro de egressos e alunos do curso técnico em Agronegócio do Senar. O grupo, formado por profissionais de várias cidades dos estados do Rio, Minas Gerais e São Paulo, debateu a criação de uma cooperativa de trabalho formada por técnicos em Agronegócio. O objetivo é atender demandas públicas e privadas na área rural em todo o território nacional. A cooperativa seria a primeira do país formada por técnicos em Agronegócio.

“O agronegócio é a atividade que mais cresce no Brasil e, com isso, oferta inúmeras oportunidades de trabalho. A cooperativa vai prestar serviço de consultoria em assistência técnica gerencial tanto para empresas quanto para o poder público. Como o curso do Senar é realizado em diversas cidades do país, nossa intenção é criar um banco de profissionais para oferecer mão de obra capacitada em vários estados”, explicou Mozart Neto, um dos tutores do curso a frente da organização da cooperativa.

O Sindicato Rural de Barra Mansa, um dos polos de apoio do Senar no estado do Rio, vai oferecer a infraestrutura necessária para o início das atividades da cooperativa. O vice-presidente do Sindicato, Adilson Rezende, defendeu que a principal vantagem de uma cooperativa é a organização do trabalho. “Ela possibilita que indivíduos isolados e com menos condições de enfrentar o mercado aumentem sua competitividade e melhorem sua renda ou sua condição de trabalho”, argumentou o vice-presidente, informando que o Sindicato Rural vai ceder espaço físico e equipamentos para o início das atividades da cooperativa.

“Os profissionais formados no curso técnico em Agronegócio têm um olhar diferenciado para a gestão rural. Já existe a previsão de uma chamada pública do governo federal para contratação desses profissionais e vislumbro um campo de trabalho enorme pela frente”, frisou Adilson. Mesma opinião tem a técnica Lenara Napoli, de 38 anos, que concluiu o curso em dezembro do ano passado. “O agronegócio é responsável pelo maior percentual do PIB brasileiro. Temos inúmeras possibilidades de trabalho e criação da cooperativa vai facilitar o acesso a essas demandas. É uma grande vantagem principalmente para quem se formou há pouco tempo”, afirmou Lenara.

“Os próximos passos para a fundação da cooperativa são o levantamento do objeto e o plano de negócio para sua manutenção. Dividimos os interessados em dois grupos e em breve pretendemos fundar a cooperativa”, finalizou Mozart.
Fotos: Divulgação