English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

quarta-feira, fevereiro 22, 2017

Suser ouve Associação de Moradores do bairro Candelária


Superintendência de Serviços Rodoviários de Volta Redonda conversou com representante da entidade sobre linha de ônibus que atende a região


Continuando a sequência de diálogo com as associações de moradores, a Superintendência de Serviços Rodoviários (Suser) de Volta Redonda recebeu, na manhã desta quarta-feira, dia 22, o presidente da Associação de Moradores do bairro Candelária, Paulo Sergio Bockorni, que foi pedir apoio para resolver problemas na linha de ônibus que atende os moradores da localidade. Segundo ele, as queixas são antigas e nunca foram atendidas.
“Infelizmente, a empresa que atende o bairro deixa muito a desejar. É ônibus que quebra e não coloca outro, ônibus todo sujo e com vazamento de água. Quando chove é complucado. Não adianta reclamar na empresa, porque não acontece nada”, explica Paulo Sergio, elogiando a rapidez na marcação de uma reunião para tratar do assunto na Suser.
Outro ponto levantado pelo presidente da associação de moradores foi o atendimento dos profissionais da empresa de ônibus. “Tem cobrador bem ignorante que ofende as pessoas. Motorista que, se estiver atrasado, percorre um grande trecho do itinerário com o letreiro do veículo escrito garagem e só muda para o nome Candelária em um determinado ponto do trajeto. Quantas pessoas não ficaram para trás? Isso acontece muito. Acontece também de ônibus, em determinados horários, não passar e ao ser perguntado sobre o que houve, o despachante informa que já passou”, contou o presidente da associação.
A Suser informou que a empresa será notificada e que fará acompanhamento e monitoramento durante um mês para verificar, com a intensificação da fiscalização, se haverá mudança no atendimento. “Agendamos uma nova reunião com a associação de moradores para termos um retorno deles, para que nos informem se a mudança será satisfatória”, explicou Isabella de Brito, diretora-presidente interina da Suser.