English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

terça-feira, julho 04, 2017

Alunos do ‘Robótica na Escola’ realizam exposição em Barra Mansa



Turmas de 3º ao 9º ano da rede municipal de ensino mostraram seus trabalhos na Estação das Artes; em seis meses, eles aprenderam desde reciclagem de componentes eletrônicos até a elaboração de circuitos elétricos e eletrônicos

Alunos da rede municipal de ensino de Barra Mansa participaram da Exposição de Robótica nesta terça-feira, dia 4, na Estação das Artes. O objetivo do evento foi apresentar os trabalhos desenvolvidos no primeiro semestre deste ano, que foram desde reciclagem de componentes eletrônicos até a elaboração de circuitos elétricos e eletrônicos. Participaram alunos do 3º ao 9º ano das escolas Ciep 54, Clécio Penedo, Iracema Pamplona, Argemiro de Paula Coutinho, Marcello Drable, Eliete Ferreira e CEI (Centro de Educação Integrada).

Iluminação residencial controlada por aplicativo de celular, ponte levadiça, engrenagem de roda gigante, mixer caseiro, máquina de refrigerante, robô que desenha, luminária oriental, aspirador de pó, ar condicionado com gelo e mais uma dezena de trabalhos desenvolvidos através dos sistemas Arduíno e Lego puderam ser conferidos. Além disso, trabalhos com reaproveitamento de sucatas de computadores, transformados em porta retratos, lixeiras e casinhas para animais, também fizeram parte da mostra.

O sistema Arduíno é uma plataforma eletrônica que permite o desenvolvimento de controle de sistemas interativos, de baixo custo e acessível a todas as idades. Este ano, a Robótica na Escola começou a implementar também nas aulas o Sistema Lego, que são utilizados, além da função lúdica, como função didática abordando a teoria e a prática direcionados para o desenvolvimento de projetos de pequeno e médio porte, estimulando a criatividade e a solução de problemas do dia a dia dos alunos.

O subsecretário de Educação, Ricardo Rosas, destacou que a ideia de trabalhar a robótica nas escolas é uma das maneiras de fazer com que a escola seja em tempo integral no município. “As aulas são dadas em contraturno, ou seja, os alunos ficam o dia todo na escola. E a apresentação desses trabalhos, feito por eles, é um estímulo, um incentivo para que cada vez mais alunos queiram participar. São trabalhos de primeira linha, resultado de um projeto de qualidade realizado com muita dedicação”, comemorou.

A coordenadora técnica do projeto Robótica nas Escolas, Juliana de Assis, destaca que além de aprender e mostrar trabalhos de sustentabilidade, a noção de elétrica e eletrônica oferecida aos alunos é importante para o futuro profissional deles. “Além da estética e da arte, eles tem conhecimentos técnicos que podem prepará-los para uma profissão”, destacou.

Um dos destaques da exposição foi o trabalho de sustentabilidade do qual fizeram parte os irmãos Gabriel Gomes Nunes, de 11 anos, aluno do 6º ano do Ciep 54, e Vinicius Gomes Nunes, de 13 anos, aluno do 8º ano na mesma escola. O projeto dessa dupla, coordenado pela professora Alyne Casalle, rendeu à turma o valor de R$ 1.500,00, arrecadados através da venda de ouro em pó, captado de componentes eletrônicos inutilizados. “Eles trabalharam num projeto que autofinancia outros trabalhos da equipe. Com o dinheiro da venda do material reutilizado, eles compraram novos equipamentos para o laboratório da escola”, destacou Alyne.

Outro trabalho que chamou bastante atenção foi à iluminação residencial do aluno Wesley Rodrigues de Assis, do 9º ano do colégio Clécio Penedo. Ele criou um aplicativo que foi programado para acender LEDs na maquete de uma casa. “Sem sair do quarto, você pode apagar ou acender as luzes de outros cômodos da sua casa, apenas utilizando o celular. Eu acho que para nós, alunos, todo trabalho desenvolvido é um avanço. É um incentivo para desenvolver outros aplicativos”, disse, animado, destacando que o sistema foi criado através de uma placa bluetooth e com outros materiais reciclados como madeira e papelão.