English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

sábado, julho 01, 2017

Cemae realiza feira de artesanato no térreo da Prefeitura

Cemae realiza feira de artesanato no térreo da Prefeitura

Trabalhos realizados pelos alunos da Oficina Profissionalizante Didi Coutinho são expostos e vendidos a preços de custo; 
atividade será realizada mensalmente e a renda  revertida em benefício dos alunos

A Secretaria de Educação de Barra Mansa, através do Cemae (Centro Municipal de Atendimento Educacional Especializado) realizou nesta sexta-feira, dia 30, no térreo da prefeitura, uma mini feira de artesanato, com venda de produtos confeccionados pelos alunos da Oficina Profissionalizante Didi Coutinho. Nas atividades, os alunos aprendem a transformar caixas de papelão, jornal, retalhos de tecido, caixas diversas em artesanatos que são comercializados a preços que variam de R$ 2,50 a R$ 80.

Os produtos são produzidos pelos alunos portadores de necessidades especiais a partir de materiais doados por confecções, supermercados e lojas de material de construção, como retalhos, rendas, botões, fitas, caixotes de madeira. Essas sucatas são transformadas em objetos de decoração, bolsas, chaveiros, caixas organizadoras, panos de prato e outros. Além de artesanato, são vendidos também alguns produtos alimentícios feitos pelos alunos da oficina de culinária, como biscoitinhos casadinho e pão de mel.

A coordenadora do Cemae, Sônia Coutinho, disse que esse evento é importante para divulgar o trabalho dos alunos, que apresentam, em sua maioria, deficiência intelectual, proporcionando a eles inclusão social e uma noção de mercado de trabalho. “As oficinas proporcionam atividades fora de casa, de conviverem com outras pessoas e de aprenderem uma atividade que pode oferecer uma renda extra”, destacou.

A diretora da Oficina Profissionalizante Didi Coutinho, Sílvia Vitória Coutinho, disse que para os alunos a venda de seus trabalhos é uma forma de reconhecimento, que estimula e incentiva a produção. “Fazer o artesanato de qualidade e ver que as pessoas estão comprando é muito positivo, pois traza lém da chance de convivência com o novo, a chance de profissionalização. É muito gratificante pra todos nós que acompanhamos esse projeto”, comemorou.

A professora da oficina de costura, Ana Cláudia Espíndola, disse que a renda arrecadada com as vendas será revertida para os próprios alunos. “Na última feira que fizemos, compramos blusas de frio para todos eles. Saímos juntos, fomos até a loja, eles escolheram o que queriam comprar. É muito prazeroso para eles essa oportunidade de retorno financeiro do trabalho que realizam”, afirmou.