English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

quinta-feira, julho 13, 2017

CODEC BM e MPF debatem novo local para reassentamento de famílias


Mudança de terreno foi aprovada pelo DNIT; proposta será levada para comissão de moradores

As obras de readequação ferroviária de Barra Mansa ganharam um novo capítulo nesta quarta-feira, dia 12. Em reunião com o procurador do Ministério Público Federal (MPF), Júlio José Araújo Júnior, os conselheiros do CODEC BM (Conselho de Desenvolvimento Econômico de Barra Mansa) informaram que o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte) aceitou a proposta de utilizar o Campo do Ferroviário para a realocação das famílias que serão removidas para a continuidade das obras. A mudança de local – de um terreno na Rua Ary Fontenelle para o Campo do Ferroviário, ambos no bairro Estamparia – atende ao pleito do CODEC BM.

“Nos reunimos mais cedo com o prefeito Rodrigo Drable, que confirmou que a direção do DNIT aprovou a mudança de local de reassentamento dos moradores. Ficamos muito satisfeitos com a notícia, pois além de favorecer às famílias, a troca de terreno vai possibilitar a instalação de um empreendimento comercial de grande porte na Ary Fontenelle, que vai gerar empregos e renda para o município. Existe ainda a questão da economia de recursos públicos: serão poupados quase R$ 3 milhões de indenização pela desapropriação da área na Ary Fontenelle”, afirmou Arivaldo Corrêa Mattos, presidente do CODEC BM.

O procurador federal considerou a alteração de local adequada, mas ressaltou que o DNIT deve formalizar a decisão junto ao MPF. “Essa mudança deve ser comunicada formalmente ao MPF para, em seguida, ser debatida junto à comissão de moradores afetados pela obra. É importante que todo esse novo processo cumpra às exigências do TAC e, principalmente, que as moradias sejam construídas em curto prazo”, explicou Júlio José.

Durante o encontro, que aconteceu na sede do MPF em Volta Redonda, os conselheiros apresentaram ao procurador o projeto de construção de casas no Campo do Ferroviário. O conselheiro do CODEC BM, Felipe Queiróz, ressaltou que a situação dos moradores deve ser vista com sensibilidade. “O objetivo do Conselho é buscar uma solução favorável a todas as partes envolvidas. O projeto do Campo do Rodoviário vai oferecer às famílias uma área de lazer, área verde, os imóveis não serão germinados e estarão localizados próximos às suas antigas residências. A troca de terreno atende também ao interesse da cidade, que vai poder receber um empreendimento comercial de grande parte na Rua Ary Fontenelle”, argumentou Felipe.

Parque da Cidade - Outra pauta discutida na reunião entre o CODEC BM e o MPF, foi a utilização do Parque da Cidade como área de lazer e entretenimento pela população. O coordenador do grupo de trabalho do Centro de Memórias, Raphael Lima, e a colaboradora do projeto, Alejandra Esteves, professora de Sociologia na Universidade Federal Fluminense (UFF), também participaram do encontro.

O procurador Júlio José sugeriu a criação de uma comissão para discutir projetos para a utilização do Parque da Cidade com atividades culturais, de esporte e lazer. Dois conselheiros do CODEC BM foram escolhidos para compor a comissão e representar a entidade.

“Barra Mansa possui muita história e é importante que seus moradores a conheçam. Por isso, apoiamos a criação do Centro de Memórias alinhado a atividades de cultura, esporte e lazer no Parque da Cidade. Oferecerendo opções de entretenimento para a população, a área será muito mais valorizada”, comentou Ana Cláudia Tressoldi, conselheira indicada para a comissão.