English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

domingo, julho 09, 2017

Volta Redonda participa de campanha estadual para vacinação contra febre amarela


Cinco unidades básicas de Saúde do município funcionaram neste sábado para vacinação

Neste sábado, dia 08, as unidades básicas de Saúde do Jardim Paraíba, Vila Mury, Volta Grande, Siderópolis e Conforto, em Volta Redonda, funcionaram até 13h para a vacinação contra febre amarela. O governo do Estado do Rio liberou, até dezembro, a vacinação para toda a população. Neste sábado foram disponibilizadas cinco mil doses para Volta Redonda. A família do Giuliano, que é motorista, aproveitou a liberação para ficar imune à doença.

“É importante que tenhamos esse cuidado de vacinar. Minha esposa vacinou contra gripe ontem, por isso vai esperar uns dias para vacinar contra a febre amarela, mas aproveitei e vim com a minha filha de uma vez, porque saúde é coisa séria”, disse Giuliano Scramim Soares.

A pequena Gabriela, de sete anos, mostrou coragem e ainda incentivou as pessoas a vacinarem. “Não dói e é muito rápido”, afirmou.

O secretário municipal de saúde, Alfredo Peixoto, reforçou que as doses chegarão gradativamente e que a vacinação vai acontecer até dezembro, sendo assim as pessoas podem procurar as unidades com calma para a imunização. “O município vai receber as doses, gradativamente, até o final do ano. Para a próxima semana já estão disponíveis mais 20 mil vacinas para Volta Redonda”, disse.

“O objetivo agora é imunizar toda população, não havendo mais público alvo para a vacina, mas ainda é necessário observar algumas normas”, lembrou o secretário. A vacina contra febre amarela é contra indicada para gestantes; mulheres que estejam amamentando; crianças menores de nove meses; pessoas com 60 anos ou mais sem indicação médica; pessoas com histórico de reações anafiláticas a ovo de galinha e seus derivados; com imunodeficiência congênita, secundária ou por tratamento; e com história de doença febril aguda. Em Volta Redonda, 25 mil pessoas já foram vacinadas desde janeiro.