English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

quinta-feira, agosto 03, 2017

Secretaria de Assistência Social encaminha morador em situação de rua em Barra Mansa para abrigo



Idoso vivia há dois anos na beira do Rio Paraíba, próximo à Ponte dos Arcos; SMASDH está desenvolvendo plano de ação para enfrentamento de situação de rua no município

Na manhã desta quarta-feira, 2, a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) encaminhou um senhor que estava vivendo na beira do Rio Paraíba do Sul (próximo à Ponte dos Arcos) para um abrigo. O trabalho foi realizado pela equipe do CREAS (Centro de referência Especializado de Assistência Social) e pela secretária de Assistência Social, Ruth Coutinho.

De acordo com Ruthinha, o senhor Carlos, de 64 anos, morava há aproximadamente dois anos numa casa trabalha com biscate, é beneficiário do Bolsa Família e é atendido pelo Centro POP diariamente. “Conseguimos convencer o senhor de que a rua não é o melhor lugar pra ele viver. Explicamos os riscos e convencemos que o ideal seria ficar num abrigo. Depois de muita conversa, conseguimos retirá-lo de lá”, disse.

A secretária informou ainda que a retirada de pessoas em situação de rua é muito delicada e exige a dedicação de um trabalho que vem sendo realizado pelo CREAS, em parceria com a Secretaria de Saúde, através do CAPS Estação Mental e do Espaço Reviver.

O trabalho de resgate do morador de rua tem resultado a longo prazo e começa com a abordagem de cada morador para analisar e entender sua situação, verificar a origem deles, se eles possuem família e saber mais de seus problemas. O serviço é realizado diariamente por uma equipe formada por assistente social, pedagogo, psicólogo, educadores e quando necessário profissional do consultório de rua.

“Visitamos os espaços públicos com maior concentração de pessoas em situação de rua e realizamos reuniões quinzenais para discutir cada caso. Muitas dessas pessoas tem dependência química e transtorno mental e precisam de acompanhamento”, frisou Ruthinha.

A secretária disse ainda que o trabalho de remoção de pessoas das ruas vai além da transferência de um local para outro e a SMASDH está desenvolvendo um plano de ação para enfrentamento de situação de rua no município.

“Estamos lidando com pessoas. Precisamos desenvolver vínculo com elas para que elas entendam que precisam de outro local pra ficar, seja um abrigo, ou seja reencontrar suas famílias. Nosso plano de ação será um trabalho em conjunto, com todas as secretarias e, principalmente, o apoio da população”, finalizou Ruthinha.