English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

sexta-feira, abril 22, 2016

Game of Thrones: o personagem principal não é quem você pensa

Se você é um de nós – fã de “Game of Thrones”, da HBO, ou de “As Crônicas de Gelo e Fogo” -, sei que está contando os minutos para o lançamento do próximo livro e a estreia da nova temporada. E você também sabe muito bem que existe aproximadamente um bilhão de personagens entrelaçados no mundo cruelmente fascinante de George R. R. Martin.
Mas, no meio dessa gente toda, quem é a verdadeira estrela do show? Muitas vezes, parece que o enredo gira em torno das crianças Stark – Arya e Sansa – e Cersei, Jon Snow e a mãe dos dragões, Daenerys Targaryen, ganham um pouco dos holofotes também, especialmente quando estão narrando a história nos livros. Então, como saber quem é o verdadeiro dono da rua? Fazendo contas, é claro. Matemáticos usaram um algoritmo para calcular quem é mais importante para o enredo e não é ninguém citado acima.
De acordo com os pesquisadores, o personagem melhor ligado aos outros personagens e, portanto, o mais influente, é o pequeno, mas poderoso leão Tyrion Lannister.
E, na verdade, isso nem é tão surpreendente assim, quando se para pra pensar. Ele esteve no meio de grandes eventos para a história, começando já na excursão até Winterfell e a Muralha – eu acredito fielmente que spoilers prescrevem depois de um tempo, mas aviso mesmo assim: o texto adiante contém detalhes da primeira temporada em diante – antes de ser capturado por Catelyn Stark e levado para o Ninho da Águia como seu prisioneiro e, eventualmente, retornando para controlar os cofres de Porto Real (e assassinar alguns personagens principais antes de fugir). Agora, ele está pertinho da nossa Khaleesi favorita depois de atravessar o Mar Estreito e nós só podemos torcer para que ele a ajude a voltar para retomar o trono de Westeros. Ou seja, para alguém que seria meramente o tio do rei mais chato da história da monarquia, ele está mais do que bem.

Metodologia

Tirando o meu lado fã, como é possível mapear esse tipo de influência de um ponto de vista matemático? Como relata o portal Science Alert, Andrew J. Beveridge e Jie Shan, da Faculdade Macalaster, em Minnesota, nos Estados Unidos, conseguiram separar os muitos personagens nos livros usando a ciência das redes – que examina, basicamente, como a informação flui de um lado para outro.
Para fazer isso, eles usaram o terceiro livro da série, “A Tormenta de Espadas”, e identificaram cada vez que dois personagens aparecem separados por 15 palavras um do outro. Quanto mais vezes esses nomes apareceram juntos, mais peso foi dado a ligação entre os dois personagens.
“Esta é uma aplicação fantasiosa da ciência das redes”, disse Beveridge ao site Quartz. “Mas é o tipo de aplicação acessível que mostra sobre o que a matemática é, que é encontrar e explicar padrões”.
O mapeamento resultou na rede abaixo, dividido em personagens e suas comunidades. Como era de se esperar, o estudo representa com bastante precisão os grupos que conhecemos e amamos – ou amamos odiar.
game of thrones
Porém, as conexões por si só não contam toda a história e os pesquisadores, então, classificaram cada um dos personagens usando várias medidas diferentes, incluindo o PageRank – o algoritmo que o Google usa em seu mecanismo de busca – para recompensar caracteres com base em quão importantes as pessoas relacionadas a eles eram.
No final, Tyrion ficou em primeiro lugar em todas as medidas, menos uma, fazendo dele o personagem principal em “As Crônicas de Gelo e Fogo” – e, consequentemente, em “Game of Thrones”.

E os outros personagens?

O segundo lugar ficou com Jon Snow, que pode ou não ainda estar vivo como chefe da Patrulha da Noite. Ele também foi o único a vencer Tyrion na medida de “intermediação”, que avalia a influência de um personagem ao longo de diferentes grupos. O terceiro personagem mais influente foi Sansa Stark, que cresce cada vez mais e deve chegar ao seu ápice até agora nesta temporada e em “Winds of Winter”, o próximo livro da série.
E é aí que pode estar a verdadeira surpresa do estudo, visto que tantas pessoas enxergam a filha mais velha dos Stark como fraca e mimada. “No entanto, outros atores [na história] são conscientes de seu valor como herdeira dos Stark e repetidamente usam-na como um peão em seus jogos de poder”, escrevem os matemáticos em seu relatório, chamado “Network of Thrones”, publicado na “Math Horizons”, a revista da Associação Matemática da América. “Se ela conseguir desenvolver sua astúcia, ela pode capitalizar em sua importância de rede para um efeito dramático”.
Outro ponto interessante dos resultados é Daenerys, porque ela não pontua muito devido ao seu isolamento físico em Essos. Mas ela se torna muito mais importante nos últimos livros e isso é algo previsto pela pesquisa – porque as poucas ligações que ela tem são com pessoas extremamente importantes.

Vida real

Embora seja divertido aplicar a matemática às nossas histórias de fantasia favoritas, também existe uma grande quantidade de aplicações práticas deste tipo de pesquisa. A mais importante delas é ajudar as agências de segurança e da polícia a estudar as redes terroristas.
E se a técnica conseguiu se provar ao analisar a trama complicada de “Game of Thrones”, incluindo dragões e mortos-vivos, mapear nossas relações da vida real também deve ser fácil. Só nos resta torcer para que o autor George R. R. Martin não resolva rir da nossa cara e tire Tyrion do mapa também, só para ver o circo pegar fogo e nossas teorias de fãs – matemáticos ou não – irem pelo ralo. [Science Alert, Quartz]