English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

terça-feira, fevereiro 14, 2017

Barra Mansa vai discutir desemprego e qualificação profissional em reunião na Superintendência do Trabalho



Secretaria de Desenvolvimento Econômico pretende implementar programas de formação para o trabalhador ainda neste semestre


O índice de desemprego e a qualificação da mão de obra no município de Barra Mansa estarão na pauta da reunião que acontece nesta quarta-feira, dia 15, entre o secretário de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação, Agnaldo Raymundo, e a Superintendência Regional de Trabalho do Estado do Rio de Janeiro. O encontro vai discutir ainda a municipalização do Sine (Sistema Nacional de Empregos).

Para Agnaldo Raymundo a falta de qualificação ainda é a grande vilã que dificulta a recolocação profissional no mercado de trabalho. “Nossos jovens precisam investir em formação técnica para facilitar a busca do primeiro emprego. Esse período é complexo, pois muitas empresas exigem experiência, em contrapartida, algumas lojas do município tem predileção na hora de empregar jovens. O certo é que se faz necessário formar um ciclo: qualificação, emprego e formação universitária. Dessa maneira, o jovem já empregado tem condições financeiras de buscar um aprimoramento na faculdade, com a oportunidade de conseguir bolsas de estudo através do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) e o Educa Mais”, ressaltou.

Outras possibilidades apontadas por Agnaldo como forma de aprimoramento profissional estão relacionadas aos cursos abertos existentes na Internet desenvolvidos por algumas universidades, e a formação técnica oferecida pelo Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial. “É extremamente importante qualificar a mão de obra, mas preparar a população também. A cidade e o perfil empresarial mudaram. Nosso foco é atrair empresas, principalmente na área de tecnologia, e atender a demanda dos trabalhadores em geral, mas também daqueles que perderam seus empregos. Números apontam  que em 2016 foram fechadas 1.616 vagas (Caged). Estamos encarando essa problemática de maneira profissional, criando base e política pública para gerar emprego, renda e reverter essa situação”.

Em pouco mais de dois meses de trabalho, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico está estudando implantar alguns programas de formação para o trabalhador. “Queremos oferecer aos desempregados instrumentos capazes de oportunizar a sua recolocação profissional. Para isto, já fizemos contatos com as representações empresarias que vão nos repassar um diagnóstico acerca das principais demandas de mão de obra no município. Na sequencia, vamos desenvolver, em parceria com a Faetec (Fundo de Apoio à Escola Técnica), programas de orientação curricular a curto prazo, como gestão de negócios, financeira e atendimento. A expectativa é de que os cursos sejam implementados ainda neste primeiro semestre do ano”, concluiu Agnaldo.