English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
ESTOU AO VIVO TODOS OS SÁBADOS DE 6:00H DA MANHÃ ÁS 9:00H DA MANHÃ NA RÁDIO LÍDER 90,1 FM.

VOCÊ É MEU CONVIDADO, ENTRE EM CONTATO PARA PARTICIPAR GRATUITAMENTE DO PROGRAMA ZAPPEANDO. DIVULGUE O TRABALHO QUE VOCÊ REALIZA EM SUA IGREJA, BAIRRO OU ENTIDADE REPRESENTATIVA! CHAMAR NO ZAP (24) 9 .9967-2456

quarta-feira, abril 12, 2017

Cooperativas de coleta seletiva de Volta Redonda têm contrato firmado com Governo Municipal

Cooperativas de coleta seletiva de Volta Redonda têm contrato firmado com Governo Municipal

Prefeitura de Volta Redonda pagará R$ 625 reais por cada tonelada de lixo reciclável

Em reunião nesta quarta-feira, dia 12, com representantes das três cooperativas de coleta seletiva de Volta Redonda, o prefeito Samuca Silva anunciou a contratação das três instituições existentes na cidade. Elas serão responsáveis para realizar a coleta seletiva de lixos recicláveis. A prefeitura ofereceu em pagar R$ 625,00 por cada tonelada recolhida e reciclada, além de uma verba R$ 42 mil mensais para o aluguel de veículos para realizar a coleta, o que foi aceito pelas cooperativas. O recurso para o transporte do lixo valerá por um ano, até que as cooperativas tenham condições financeiras para adquirir um veículo próprio.      

“As cooperativas têm que ser autônomas o máximo possível. A prefeitura pode dar um apoio por um período, mas sou a favor da independência total das cooperativas. Quero que Volta Redonda seja referência na coleta seletiva. Quero conhecer bons modelos para adotarmos no município”, disse Samuca Silva.

Atualmente, de acordo com as cooperativas, são recolhidas 100 toneladas de lixo reciclável por mês, o que correspondem a 5% do total da produção de lixo em Volta Redonda. A meta das cooperativas é que esse número aumente para 300 toneladas mensais ainda em 2017.

“Agora, os catadores de recicláveis serão microempreendedores. Vamos tratá-los como uma empresa que presta serviço à prefeitura. Haverá cobrança na qualidade de serviço, o uso de EPI (Equipamento de Proteção Individual) e na organização das cooperativas”, ressaltou o secretário municipal de Meio Ambiente, Alfredo Peixoto.

A secretaria fará um cronograma de dias e horários para a coleta em cada bairro das três cooperativas. O Governo Municipal vai manter os dois atuais locais de armazenamento do lixo reciclável na Vila Santa Cecília (próxima à Cicuta) e no bairro Voldac. Quem também participou do encontro foi o defensor público Cláudio Luiz dos Santos, que é membro do Grupo Nacional de Catadores e Catadoras. Ele elogiou a postura da prefeitura de Volta Redonda e crê na mudança da mentalidade da população em relação à coleta de lixo reciclável.

"Uma abertura de diálogo como está acontecendo em Volta Redonda é muito positivo. Precisamos ter o olhar da realidade e a Defensoria sempre será parceira dos catadores de recicláveis. É a vontade da prefeitura de ajudar os catadores é importantíssima para o Meio Ambiente", disse o defensor público. Segundo ele, apenas 18% das cidades do país possuem cooperativas de coleta seletiva.

Maria Nazaré dos Santos, representante da cooperativa ‘Cidade do Aço’, destacou a importância que o novo governo está dando aos catadores: “Nem todos os políticos dão a importância merecida aos catadores”, resumiu. Valeria Lurdes Martins, da cooperativa Reciclar-VR, concordou e completou: “Vamos sair da precariedade. Muitas famílias hoje dependem da coleta de recicláveis em Volta Redonda”.

“Acredito também que com essas medidas, em parceria com a prefeitura, vamos aumentar o número de cooperativados. E, por conseqüência, aumentaremos o número de toneladas de lixos recicláveis coletados”, disse Euvaldo Luiz, representante da cooperativa Folha Verde.